domingo, 11 de janeiro de 2009

Você conhece o seu corpo?

Falar de sexualidade no Brasil sempre foi complicado ainda mais da sexualidade feminina. A mulher desde os primórdios foi alvo de ditos preconceituosos; não me deixa negar a Bíblia com a história de Adão, Eva e a serpente. Diz o mito que Deus criou o paraíso e para habitá-lo, fez Adão (do barro) e Eva (da costela deste), os dois viviam felizes e sem pecados quando surgiu uma árvore com frutos (a maçã) e nela uma serpente. A serpente, por sua vez, convenceu Eva a persuadir Adão comer a maçã, obteve sucesso. Com a mordida na maldita fruta eis que surge na Terra o pecado e todas as tristezas que, hoje, conhecemos muito bem, como a miséria, a fome, a violência e etc. E a mulher grande culpada de tudo isso.

Na Idade Média, devido, a esse mito bíblico a mulher foi discriminada e perseguida. Impediram-na de estudar, trabalhar, administrar, de ser no mínimo cidadã. Sua única ocupação era a submissão aos homens, primeiro ao pai e depois ao marido; por muito tempo, exerceu o papel ínfimo na sociedade, apenas, tinha o dever de ser uma boa filha, uma boa esposa, e por fim, uma boa mãe. Diz um texto bíblico – 1 Tm. 2.12-14: “E não permito que a mulher ensine, nem exerça autoridade de homem; esteja, porém, em silêncio. Porque, primeiro, foi formado Adão, depois, Eva. E Adão não foi iludido, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão”.

As mulheres que possuíam idéias à frente ao seu tempo, que não se conformavam com o papel de coadjuvante na sociedade eram discriminadas, perseguidas, taxadas de escória e de “bruxas”, já que, a Igreja Católica determinava a ordem e a ideologia a ser seguida em todos os âmbitos, desde a cultura à ciência, política, economia e social. Essa época ficou conhecida como a Santa Inquisição, creio que o período mais tenebroso na história da religião da Igreja Católica. E é dessa forma, que se explica o tabu do exercício da sexualidade feminina. Você, mulher, dos 15 aos 80 anos conhece seu corpo? Já se masturbou em algum momento da vida? Já sentiu o orgasmo?

O Instituto Vox Populi a pedido da revista Veja fez uma pesquisa sobre a sexualidade da mulher e concluiu que a maioria das jovens solteiras e casadas já fingiram sentir prazer para não desagradar o seu parceiro. E grande parte das mulheres delegam o controle da sua vida sexual ao homem. É ele quem determina tudo a hora, o local, a freqüência a até mesmo a duração da relação sexual. E uma pesquisa elaborada pela psiquiatra Carmita Abda, do Projeto Sexualidade do Hospital das Clínicas de São Paulo, revela que menos de 10% das jovens sentem prazer no início da vida sexual.

Apontar onde estar o erro ou tentar justificar o porquê do resultado dessas pesquisas requer outro tipo de trabalho, o de pesquisa de campo para saber se as mulheres realmente conhecem o seu corpo. A masturbação feminina é o assunto do momento, porém, é ainda cheia de tabus, desinformação e preconceito. Perguntar para 5 mulheres se elas se masturbam, 3 vão se espantar e afirmar que não, sendo que uma boa parte nunca se tocou mesmo, uma vai ficar constrangida e não falar e a outra vai dizer que sim. Infelizmente, é esse o cenário da vida sexual das mulheres; conhecer o seu corpo não é sinônimo de vulgaridade, e muito menos, de coisa de mulher sem marido ou sexo de “puta”, mas, o caminho para uma vida mais saudável e consciência de que realmente você existe no mundo.

10 comentários:

°-° disse...

Oie amore.
TenhO um presentinhO pra Vc lá no meO Blog!!!

Espero q goste e repasse pra mais 5 blog's amigos...

XerOo

Bianca disse...

Olá!!! Mil e mil desculpas, só hoje que eu fui ver seu comentário, dizendo que tinha um selo pra mim! Obrigada! Muito obrigada mesmo!

Beijos, linda!

http://www.sonhosamadores.blogspot.com/

valpinho disse...

Olá Meg. Ótimo texto

Beijos...

>>> Infelizmente, ainda hoje, salvo raras exceções, a mulher não se concentra em si mesma.

°-° disse...

Oi amoree.. tem um memê maraa lá noblog pra ti.
esperO q Goste!

Xer0

Sonhos Amadores disse...

Olá! Tem um selo pra ti lá no meu blog! Passa lá pra pegá-lo!!

Beijos

Andrea Vaz disse...

Olá Meg...

Estou sentindo sua ausencia. Visite meu blog tem uma surpresinha pra vc.


Tenha um lindo fds!

Anônimo disse...

Muito legal, querida Alice! Isto é mais que necessário pois penso que a liberação sexual da mulher em nosso país ainda não aconteceu realmente, porque vemos todos os dias meninas engravidarem em suas primeiras tentativas de uma vida sexual, ou mulheres que passam a vida se culpando por não conseguirem ter orgasmos, por conta da má orientação e da submissão a maridos pouco ou nada sensíveis a isto! Creio que o tema devia ser tratado em casa ou nas escolas, se não é, não é motivo para que fiquemos apáticos, não é mesmo!? Parabéns, moça!

Altair de Oliveira.

Paulo Roberto! disse...

Olá! Tem um selo pra você no meu blog, um presentinho! ^^

Abraços!

Emiliana Carvalho disse...

Olá, como vai, Meg?

Olha, tô passando por aqui pra retribuir uma gentileza. Vc me deu o Selo Dardos e eu te dou o selo Olha que Blog Maneiro. Depois dá uma passadinha por lá.

Com todo carinho...
Emiliana

Emiliana Carvalho disse...

Meg,

Como prometi estou aqui pra comentar seu artigo. Primeiro quero te parabenizar por insistir, (no bom sentido, é claro) em discutir a sexualidade feminina, que espantosamente ainda está envolta por tantos preconceitos. Segundo...dizer que concordo contigo no que diz respeito à importância da mulher conhecer seu próprio corpo e tentar ultrapassar limites. E em terceiro ... dizer que a linguagem clara, aberta e bem-humorada que vc utilizou torna o assunto (que em muitos casos as pessoas consideram pesado), algo agradável, como na verdade deve ser.

Bjs.
Até breve.

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios