domingo, 13 de setembro de 2009

Canções de louvor

3 horas da madrugada. Sons fortes, ensurdecedores. Pancadas e choros. Andar de cima. Antes só se escutava canções de louvor a Jesus Cristo, ao Senhor, mas nessa noite a canção era de trevas. No primeiro momento não identifiquei, segundos depois consegui processar o que estava acontecendo. Sexta-feira, madrugada. Na certa, ele chegou bêbado e achou no direito de espancar sua esposa. O choro dessa mulher nunca mais irei esquecer. Era de dor. Uma dor não somente física. Senti-me angustiada como se também estivesse doendo em mim. Depois escuto um barulho de torneira aberta. Pensei: será que está limpando o estrago? Não dormi o resto da noite. O dia amanheceu e durante a manhã não ouvi nenhum ruído muito menos as canções de louvor. Nunca vi o casal. Passei semanas tentando deduzir quem poderia ser. Qualquer transeunte do prédio eu suspeitava. Mas, até hoje nunca vi a face. Passei dias sem ser incomodada pelo som alto de música gospel. A qualidade dos meus estudos melhorou. No entanto, após oito dias sem nenhuma intromissão as canções voltaram no mesmo volume alto de sempre. Sem querer usar o nome de divindades em vão (até porque eu acredito em Deus), mas Jesus Cristo deve ter curado. É só vim outra sexta-feira, ele encher a cara com álcool e certamente acordarei às 3 horas da madrugada aos sons fortes e ensurdecedores de pancadas e choros.

9 comentários:

Anônimo disse...

Por isso q sou seu fã! Vc conseguiu transformar uma noite daquela, dos horrores, em algo menos traumático. Sou seu maior fã!

PS: TE AMO

Abraão Vitoriano disse...

aqui fiquei com vontade de morar,
é um espaço raro e de muito brilho...

um beijo e luz e calor,

continuemos...

Ilana disse...

Já tive vizinhos do gênero.. a diferença é que ele era policial e ela uma.. bem.. mulher da vida, segundo as más línguas. O que importa é que ela era sua "companheira". Engraçado como nessas histórias sempre têm um tipo irônico. Na verdade, perdão pelo trocadilho, mas de engraçado não tem nada. E viva Jesus.. só ele pra salvar, pois não? Pelo menos até as sextas-feiras. Gostei mt do texto, Meg ;)


abrs, moça..

Rê :) disse...

HAUHAUAHAUHAUAHA guria, ADOREI!

teu blog é 10. muito parecido cmg.

bjo bjo!!

Alice Brasil disse...

Abraão Vitoriano, sinta-se em casa. E fico feliz por sua visita.

Alice Brasil disse...

Ilana, eu entendi o trocadilho, realmente esses tipos de personagens geralmente são figuras estranhas. O que mais me chateia é que eu já ouvi o cara que espancou a mulher cantando uma música gospel que dizia o seguinte "ele (creio que Jesus) virá", quanta hipocresia. SEm falar que com certeza quem deve orientar a vida desse casal é um pastor, e ele certamente deve ter dito a mulher para ter calma que o marido estava possuído pelo diabo. Isso é o que mais me dói, mas enfim, essa foi a cruz que ela escolheu.

Alice Brasil disse...

Rê, fico muito feliz por ter se identificado com o meu blog, essa empatia assim de forma gratuita é o que me dá vontade de continuar a escrever nesse espaço. Valeu pela sua presença aqui.

Alice Brasil disse...

Ah, para Abraão e Rê espero contar sempre com a presença de vcs aqui no blog.

Ilana disse...

Afzzz, isso me mata..
Mas como você mesmo disse, essa foi a cruz que ela escolheu carregar.

abrs, moça

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios